Você Sabia?

Já ouviu falar em sistemas agrossilvipastoris, sistemas agroflorestais, integração lavoura-pecuária-floresta ou sistemas de produção integrados?

Todas estas denominações fazem referência à sistemas que contemplam os componentes agrícola, pecuário e florestal. A integração pode ser entre dois ou três destes componentes, o que pode gerar outras nomenclaturas dos sistemas (lavoura-pecuária, lavoura-floresta ou pecuária-floresta), porém todos possuem algo em comum: diversificação da produção na mesma área, seja através da rotação, consórcio ou sucessão.

Estes sistemas diferem substancialmente das práticas tradicionais, monoculturas, em que se explora o solo com determinada atividade por longos intervalos de tempo. A ideia dos sistemas integrados é diversificar o uso do solo em uma mesma área a fim de se promover a sustentabilidade das atividades nos três aspectos, econômico, social e ambiental.

Podemos listar algumas dentre as diversas vantagens destes sistemas:

  • Recuperação de pastagens degradadas;
  • Controle de processos erosivos;
  • Aumento da taxa de lotação das pastagens;
  • Melhores condições de conforto animal sem necessidade de construção de sombra artificial;
  • Aumento do ganho de peso animal e produção de leite;
  • Diversificação das atividades na propriedade, reduzindo riscos climáticos, ambientais e de mercado;
  • Maior aproveitamento dos fertilizantes pelas diversas culturas com diferentes sistemas radiculares e necessidades nutricionais;
  • Redução da incidência de pragas e doenças e consequente decréscimo no uso de inseticidas e herbicidas;
  • Sequestro de carbono pelas arvores e forragem;
  • Geração de produtos com maior valor agregado.

Estas são apenas algumas das inúmeras vantagens destes sistemas. No entanto, mesmo com diversos benefícios, nos sistemas integrados devem ser considerados critérios de planejamento, implantação e manutenção. Nesse sentido, é fundamental dispor de corpo técnico qualificado para otimizar o processo de implantação e se alcançar os resultados pretendidos conforme o planejamento definido. Além do corpo técnico qualificado, fatores como vocação econômica da propriedade, adequação às legislações ambientais, potencial de investimentos, infraestrutura necessária, demanda de mercado para os produtos, devem ser levados em consideração no planejamento dos sistemas.

Conheça uma aplicação deste sistema no site a Embrapa.

Para saber mais sobre os sistemas integrados e a melhor forma de colocar em prática tais sistemas em sua propriedade, entre em contato com a equipe da Cimo Engenharia e Soluções Ambientais. Estamos prontos para atende-lo (a).

(32)9 8817-4490

(32)9 9126-2315

contato@cimoambiental.com.br